navegar pelo menu
quarta-feira

Eu não sou uma fraude

Foto: @tondantax
Todos nós já duvidamos das nossas próprias habilidades em algum momento da vida e quem ainda não duvidou, em algum momento vai acabar duvidando. E quando esses pensamentos passam a aparecer com uma frequência maior que o normal, pasmem: nos tornamos vítimas da síndrome do impostor. 

Mulher, o que é essa síndrome?  

É quando você não se sente capaz e acredita que não merece as coisas na sua vida, mesmo quando você foi a única pessoa que foi atrás daquilo que é e que tem hoje.  Dizemos tanto a nós mesmos que somos impostores, que isso acaba internalizando em nossa mente. Você começa a acreditar na vozinha dizendo coisas horríveis a seu respeito: que nada que você faz é bom o bastante, que nada do que você conquistou é mérito seu 

E esse texto é sobre mim, mas tenho quase certeza que você vai se identificar, porque a maioria das pessoas com quem eu converso sobre esse assunto me diz "meu Deuseu sofro disso também!".  

Eu sempre tenho uma ideia muito boa para fazer algo novo, do nada me bate um surto de criatividade e eu quero fazer tudo aquilo, mas acabo desistindo em menos de cinco minutos. Quase nunca consigo terminar nada que começo, meus projetos aqui no blog não me deixam mentir. Eu não sei receber elogios, é difícil acreditar quando me falam que sou boa em alguma coisa, sempre vou dar um jeito de apontar um defeito para desmerecer tal elogio. Na minha mente sempre tem alguém mais inteligente, mais capaz e que faz tudo melhor. Meus textos não são perfeitos, minhas fotos poderiam ser bem melhores, assim como tudo que faço. Tudo parece bom, mas não bom o suficiente para ser digno de elogios e eu sempre dou um jeitinho de me comparar com alguém. Soa ridículo, não?  

Esses dias, eu fui apresentar um evento e estava quase arrancando os dedos de tanto nervosismo e abracei a primeira oportunidade de me sabotar. Aproveitei a deixa de ter apenas um microfone para duas pessoas (eu e uma amiga) e sugeri que ficássemos atrás das cortinas, para não ficar passando o microfone de mão em mão na frente da plateia. Mas na verdade, a auto sabotagem estava falando por mim, me fazendo arrumar desculpas para fugir de ficar na frente daquela gente toda. O medo de embolar nas palavras e fazer com que todo mundo enxergasse que eu não sou boa em nada, gritou dentro de mim.  

Ah, mas você tem noção que isso aí não é certo e não faz nada pra melhorar? 

Insegurança é uma coisa normal, todo mundo tem, eu sei, você sabe! A gente só precisa trabalhar ela. A síndrome do impostor também, só é um pouco mais complicada. É muito comum acreditarmos que aquilo que a gente almeja é difícil de alcançar, mas, às vezes, o maior empecilho está em nós mesmos. Seja na falta de coragem para dar o primeiro passo, ou naquele velho hábito de largar os projetos pela metade em vez de insistir até que eles deem certo, nosso maior erro é não confiar na nossa própria capacidade.  

O primeiro passo para sair dessa é compreender que ela não vai passar de uma hora pra outra. Devemos começar mudando os pequenos hábitos e eles terão um impacto grande. Foi justamente por isso que decidi escrever esse post, para falar das minhas inseguranças e aproveitar para tentar trabalhar nisso. Até porque não é fácil e precisa de tempo. Esse post vai ficar aqui como um lembrete de que eu preciso seguir as coisas que eu falo/escrevo.  Até porque sou ótima dando conselhos e quando se trata de mim mesma, sou irredutível 


Fiz uma lista com alguns lembretes para me motivar (e te motivar, caso tenha se identificado) a melhorar e o primeiro, por mais óbvio que seja, talvez seja o mais difícil e mais importante: acredite no seu potencialQuando se sentir inseguro sobre algo, apenas faça. O primeiro passo é sempre o mais difícil, mas depois dele você se surpreenderá com o quanto é capaz de fazer. Isso vai além de confiar no seu talento, mas também em aceitar quando te elogiam.  

Se todo mundo acha que você é incrível e tudo aponta que você é, talvez seja verdade. Se aceita! Tô tentando internalizar isso aqui. E espero que em breve consiga gritar: eu não sou uma fraude! Sem estar tentando me enganar.  

PS: Encontrei esse vídeo lá no canal da Júlia (Jout Jout Prazer) e ela fala sobre o assunto, talvez você queira assistir:

             
xoxojaneise! 
maio de 2017 

2 comentários:

  1. Obrigada por fazer entender que eu não sou uma fraude , vou colocar tudo isso na minha parede !!! ♥️♥️♥️♥️♥️♥️

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial