navegar pelo menu
terça-feira

Desculpe o transtorno, mas precisamos falar sobre você


fonte: pinterest

Obs: esse post pode conter spoilers. 😊

Ok, antes de tudo, deixa eu explicar que “Você” ou “You”, se preferir, é uma série! Uma produção original da Lifetime, mas que entrou no catálogo da Netflix em dezembro.

A série é baseada em um livro de mesmo nome escrito por Caroline Kepnes, e tem dez episódios em sua primeira temporada. Acompanhamos a rotina de Joe, um gerente de uma livraria em Nova York, que em um dia normal, atende uma garota que chama sua atenção. E é a partir desse “amor à primeira vista” que acompanhamos todas as suas tentativas de aproximação, até que finalmente ele consegue se tornar íntimo de Guinevere Beck, com quem ele inicia um relacionamento à base de ciúme e paranoia.

É nada mais, nada menos que uma história interessante sobre relacionamento abusivo e psicopata. 

Tudo começou com a memorização do nome dela em seu cartão de crédito e uma simples pesquisa no Google e o stalker já encontrou todas as informações que precisava: endereço, onde Beck trabalhava e com quem se relacionava. A partir daí a saga começa. Joe espreitando a vida de Beck e todos os seus relacionamentos. Então, os encontros que, para ela, eram apenas coincidências, passaram a ser planos minimamente calculados por ele, tudo para conquistar a sua “garota dos sonhos”.

A série não esconde quem o Joe é desde o início, não romantizam nada, o que vemos é o desenrolar de uma perversão, de um desvio comportamental de um sujeito que, provavelmente, nem faça ideia da doença que tem. E o Joe não acha que ele seja uma má pessoa, só está “ajudando” a Beck. Poucas vezes a mente de um stalker foi tão bem demonstrada como nessa série.

A série é um pouco lenta, só conseguiu me prender pela força do ódio, sério! Continuei porque queria saber até onde o Joe iria. Além de ter muitos furos, gente, não é possível. O cara era iniciante e conseguiu driblar todo mundo, como assim? Ele conseguia entrar nos lugares sem ninguém perceber, parecia até que era invisível. É toda narrada pela perspectiva dele, é fascinante observar como funciona a mente de um psicopata, como ele consegue facilmente distorcer os fatos para justificar suas atitudes. Joe consegue tirar isso de letra, tem uma desculpa para tudo.

Acabei de assistir e fiquei abismada, assustada e mais paranoica que o normal. Eu quase surtei com o final, caramba, nunca senti tanto ódio! Eu não consegui me apegar a personagem nenhuma, com exceção de Paco e talvez Karen mereça meu respeito, mas sério, todo mundo com um probleminha, óbvio que o Joe era o maior problema ali, mas a Peach também não ficava para trás, outra Stalker.

O mais louco foi ver gente romantizando tudo, o cara é um assassino, galere! O próprio Penn, ator da série, precisou explicar que o Joe é toxico e pedir para as pessoas não romantizarem o relacionamento deles. E o povo tá aí ó: Oh meu Deus, quero um Joe na minha vida!



Existe uma diferença entre gostar de um personagem pela complexibilidade dele e gostar tanto a ponto de querer um psicopata na vida. Ninguém realmente quer um psicopata em sua vida, espero eu.  O Joe é um rostinho bonito? É, mas também é controlador, assassino, psicopata e tudo mais. Não tem motivos para gostar dele. JOE é um nojento e escroto. É isso!

Resumindo: You é boa, tem um conteúdo legal, dá para passar o tempo, mas não é tudo isso também não. E PAREM de romantizar e tentar justificar as atitudes do embuste. Não é uma história de amor e sim, de obsessão. É isso! 

Se liguem no recado da Beck:

      

Xoxo, babys!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial